Você anda sentindo muito…

1 abr

Sentir, sentimentos, sensações. Parece que é isso que nos alimenta. Numa sociedade sem muitos valores, apenas feelings são importantes. Veja as tags do instagram e Twitter. De fato, there isn’t ideas. Vivemos numa sociedade que não pensa.

Assisti admirado o filme biográfico de Margaret Thatcher. Discordâncias políticas a parte, oriunda de um seio conservador, dirigiu o Reino Unido durante quase 12 anos. É dela a frase que sustenta toda a produção do filme: “você quer saber o que eu estou sentindo, esse é o problema do mundo hoje, vocês sentem demais. Eu venho de uma época em que as pessoas tinham idéias. Você não quer saber o que eu estou pensando. Pergunte, o que eu estou pensando, o que eu quero”. Assim a personagem da mulher mais importante da década de 1980 abri espaço para o controverso final de vida, suas ideias estão se perdendo por uma demência que a atinge desde os seus 83anos.

O grande conflito moderno passa por essa necessidade de sentir, viver sem saber ao certo os porquês das suas decisões. Os jovens não se sentem capacitados para agirem, lutar, reclamar, mudar algo, já que não alimentam sua mente de ideias, de livros, de conhecimento. Vivemos uma demência social. Os poucos que ainda respiram algumas letras e posicional politicamente fazem do mundo moderno um lugar ainda habitável.

Para mim, é inadmissível ter posturas que movimentam comunidades culturais sem pensar numa responsabilidade ideológica. Não sei o que é pior, aquele que movimenta aglomerados através de discursos vazios e irresponsáveis, ou aqueles que se sentem partes deles. Povoar é uma atitude política. Ocupar é preencher ideais.

O reflexo desse vazio de ideais são posturas medíocres, lugares vazios de pessoas, lugares lotados de zumbis, músicas pasteurizadas, comidas sem sal, refrigerantes vitaminados, dentre outras mazelas pós-contemporâneas.

Todavia, você quer saber o que eu estou sentindo ou que eu estou pensando?

Um velho capitão.

Anúncios

3 Respostas to “Você anda sentindo muito…”

  1. Mariposa. 01/04/2013 às 9:12 pm #

    Engraçado, o facebook antes perguntava “o que você está sentido?”, hoje ele pergunta “o que você está pensando?”, não que as pessoas respondam essa pergunta pensando em algo de fato, mas de qualquer forma, até as sensações e os sentimentos precisam ser pensados, por isso que as pessoas são confusas e se atropelam, elas não refletem sobre o que sentem. De resto, tu já sabe, foi o que conversamos no carro, se não há pensamento a respeito de algo, não há mudança, até o sofrimento muda quando se pensa a respeito dele; uma mudança de postura necessita uma tomada de consciência. (E acabo de me responder algo, que às vezes eu esqueço, ou quero esquecer…)

    um beijo, my Captain ;)

  2. Mariposa. 01/04/2013 às 10:24 pm #

    (e como acho que o se sente muda, a partir do que se pensa sobre; gosto mais de saber o que você pensa… tanto porque até a importância do que se sente depende do que se pensa sobre isso…)

  3. Maria 21/04/2013 às 10:05 pm #

    Em outras palavras falta conteúdo criativo. É muita superficialidade! Em uma sociedade extremamente imagética o interessante é parecer e para mim essas imagens são excelentes reflexos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: